Conferência na Fronteira da Ciência – Prof. Doutor José Manuel Afonso – 16 de Julho – Fundação Calouste Gulbenkian – Auditório 2 – 18h00

INFORMAÇÃO RECEBIDA DA GULBENKIAN COM PEDIDO DE DIVULGAÇÃO 

 «  O Serviço de Ciência da Fundação Calouste Gulbenkian, em colaboração com a Ciência Viva, realiza no Auditório 2 da Fundação Calouste Gulbenkian  (Av. de Berna, 45 A)  a  conferência  – NA FRONTEIRA DO UNIVERSO: EM BUSCA DO FIM DA IDADE DAS TREVAS  que terá lugar no dia 16 de Julho (quarta-feira), às 18h00, e será proferida pelo Prof. Doutor José Manuel Afonso, do Observatório Astronómico de Lisboa.   (…) 

Poderá também assistir em directo através do site: http://live.fccn.pt/fcg/  e enviar as suas questões (fronteiradaciencia@gulbenkian.pt) que o orador responderá no final da sessão. Outras informações relativas a esta iniciativa estão disponíveis no site www.gulbenkian.pt/fronteiradaciencia .

 Junto tenho o gosto de enviar o texto introdutório do Prof. João Caraça, Director do Serviço de Ciência, bem como o currículo do Prof. Doutor José Manuel Afonso  e o resumo  da conferência.

 Com os melhores cumprimentos.  

Rita Rebelo de Andrade

Serviço de Ciência

E. – randrade@gulbenkian.pt

T. (00351) 21782 3525 /F. (00351) 21782 3019 »

Anexos:

 Na Fronteira da Ciência

A ciência dedica-se ao estudo dos fenómenos da natureza e das suas interacções. Sendo o universo infinito, o processo de o apreendermos, acompanhando o progresso da ciência, não pode parar nem retroceder. A fronteira pula e avança.
\bigskip 
Mas a ciência é também um poderoso veículo da cultura das sociedades contemporâneas e do exercício da cidadania. Por este motivo, torna-se necessário que cada vez se faça mais investigação e em melhores condições. O conhecimento científico está na base do espírito crítico, da atitude participativa, da verificação sistemática das condições do funcionamento da realidade de todos os dias.
\bigskip 
A democracia é o único regime político que permite questionar livremente a relação da ciência com a sociedade. Ciência e democracia estão, pois, indissoluvelmente ligadas. Importa assim que todos compreendam os desafios e as perspectivas novas que decorrem das actividades na fronteira da ciência. Essas percepções são um poderoso indicador das oportunidades bem como das dificuldades com que se depara a nossa sociedade.
\bigskip
A leitura que fazemos do presente com vista ao futuro é a utopia que se tornará realidade no intervalo de uma geração. Torna-se assim tão importante falar sobre a ciência como fazer investigação na sua fronteira. É este encontro entre a ciência e os cidadãos que é fundamental promover. Para que as suas implicações sejam claras para todos – e para que o gosto pela aventura e pela descoberta perdure como aspiração colectiva. 

\bigskip

NA FRONTEIRA DO UNIVERSO: EM BUSCA DO FIM DA IDADE DAS TREVAS

JOSÉ MANUEL AFONSO

Após milhares de anos a estudar o céu, numa história que é tão velha como o próprio Homem, encontramo-nos hoje prestes a assistir a uma revolução no conhecimento. Pela primeira vez, o Homem prepara-se para observar o nascimento da primeira luz do Universo, e finalmente compreender como se deu a formação das primeiras estruturas do Cosmos. Sabemos que pouco após o Big Bang, uma escuridão fundamental se terá instalado. Sabemos também que hoje o Universo é rico em luz, sendo as estrelas uma das suas origens.

 

Como se deu a transição da “Idade das Trevas” para a “Idade da Luz”? Quais foram os primeiros faróis do grande oceano cósmico? Utilizando uma nova geração de telescópios e de instrumentação astronómica, com capacidades nunca antes havidas, pensamos estar perto de os revelar.

Nesta conferência apresentarei a forma como a Astronomia se dirige, inexoravelmente, para a revelação que marcará uma época, discutindo os obstáculos que existem e como se espera que sejam ultrapassados nos anos mais próximos.

16 de Julho de 2008

José Afonso

nasceu a 13 de Dezembro de 1974, em Lisboa.

Graus e Prémios académicos             
  • 2002 Ph.D in Astrophysics, Universidade de Londres;
  • 2000 Prémio Valerie Myerscough da Universidade de Londres;
  • 1998 Mestrado em Astronomia e Astrofísica, Universidade de Lisboa;
  • 1997 Distinção no Programa Gulbenkian de Estímulo à Investigação;
  • 1996 Prémio do Departamento de Física da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa;
  • 1996 Licenciatura em Física, Universidade de Lisboa;

Posição actual
Investigador Auxiliar, Observatório Astronómico de Lisboa
Área de Investigação Principal 
Formação e evolução de galáxias.
 Actividades de interesse científico ou académico
  • Autor de mais de trinta artigos em revistas científicas com referee.
  • Investigador Principal ou co-Investigador em mais de vinte propostas para tempo de observação em observatórios internacionais, totalizando cerca de mil horas de tempo de observação concedido.
  • Presidente do European Science Advisory Committee para o projecto ALMA.
  • Coordenação de projectos de investigação internacionais em astronomia.
  • Avaliador de projectos de investigação: PPARC (UK), XMM-Newton (ESA).
  • Avaliador de publicações científicas em duas revistas da especialidade, The Astrophysical Journal (2006/2007) e Journal of Astronomy and Astrophysics (2005/2007).Avaliador de publicações científicas em duas revistas da especialidade, The Astrophysical Journal (2006/2007) e Journal of Astronomy and Astrophysics (2005/2007)

Sobre Américo Tavares

eng. electrotécnico reformado / retired electrical engineer
Esta entrada foi publicada em Ciência, Divulgação, Gulbenkian, Notícia com as etiquetas , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s