Mais um prémio para Nuno Crato: um dos European Science Awards

Recebi hoje da Gradiva a seguinte informação:

«O matemático e divulgador português Nuno Crato foi um dos agraciados hoje em Bruxelas com um dos European Science Awards (ex-Descartes prize), numa cerimónia pública tida esta tarde no Flagey Building, com a participação do Comissário Europeu para a Ciência e a Investigação, Janez Potocnik, do ministro em exercício na presidência europeia, Mojca K. Molinar, de representantes da imprensa europeia e de todo o mundo, e de centenas de convidados.

Nuno Crato, professor de Matemática e Estatística no ISEG e pró-reitor da UTL, ficou em segundo lugar na categoria de “Science Communicator of the Year”. O primeiro foi atribuído ao astrofísico e escritor francês Jean-Pierre Luminet. Prémios anteriores foram para figuras tão importantes na divulgação científica como Bill Bryson e David Attenborough.

Concorreram a estes prémios centenas de cientistas e divulgadores europeus. É a primeira vez que um deles é atribuído a um português.

Na citação do galardoado, o júri europeu salientou a colaboração ininterrupta no semanário “Expresso” com artigos semanais desde o ano de 1996, a colaboração na Rádio Europa e em vários programas de televisão. Salientou igualmente a contribuição de Nuno Crato como Presidente da Sociedade Portuguesa de Matemática para a promoção de eventos de popularização da matemática entre os jovens. O júri destacou ainda vários livros que publicou, tais como A Espiral Dourada. O último livro de Nuno Crato foi publicado este ano na Gradiva com o título Passeio Aleatório e está já em segunda edição, tendo a primeira esgotado em poucas semanas.

Ao descrever o seu estilo de divulgação, a que chamou “abordagem Crato” (“Crato’s approach”), o júri destacou a “escrita fácil de ler, mas também informativa e cientificamente sólida”. A propósito de artigos deste autor já premiados pela European Mathematical Society, o júri salientou que os seus textos focam “assuntos interessantes para o público, tratados com humor, inteligência e um estilo jornalístico distinto”.

 

O AUTOR

Nuno Crato é Professor Associado com Agregação de Matemática e Estatística no Instituto Superior de Economia e Gestão, em Lisboa. É pró-reitor para a Cultura Científica da Universidade Técnica de Lisboa. Licenciou-se em Economia no ISEG. Doutorou-se em Matemática Aplicada nos Estados Unidos e trabalhou depois nesse país muitos anos, como investigador e professor universitário. O seu trabalho de investigação incide sobre processos estocásticos e séries temporais com aplicações várias, nomeadamente computacionais, climatéricas e financeiras.
É presidente e coordenador científico do Centro FCT Cemapre e membro de várias sociedades científicas internacionais, nomeadamente da American Statistical Association e do International Institute of Forecasters. Foi Presidente do International Symposium on Forecasting em 2000. Tem trabalhos de investigação publicados em diversas revistas internacionais da especialidade, nomeadamente Statistical Papers, Communications in Statistics, Journal of Econometrics, Economic Letters, International Journal of Forecasting e Journal of Forecasting.

É presidente da Sociedade Portuguesa de Matemática (SPM) e membro dos corpos gerentes do Fórum Internacional de Investigadores Portugueses (FIIP).

Em paralelo com o seu trabalho académico, está empenhado na divulgação científica. Colabora regularmente na imprensa, principalmente no semanário “Expresso” onde mantém desde 1996 uma coluna semanal de divulgação científica, e tem colaborado com vários programas de televisão, nomeadamente o 4xCiência e o 2010. Mantém o programa radiofónico diário 3 minutos de ciência na Rádio Europa. É autor de Zodíaco: Constelações e Mitos (Gradiva, 2001) e Passeio Aleatório (Gradiva, 2007); é co-autor de Eclipses (Gradiva, 1999), de Trânsitos de Vénus (Gradiva, 2004), de A Espiral Dourada (Gradiva, 2006), de Relógios de Sol (CTT, 2007) e de outras obras de divulgação. A Sociedade Europeia de Matemática atribuiu-lhe em 2003 o Primeiro Prémio do concurso Public Awareness of Mathematics pelo seu trabalho de divulgação. Preocupado com o ensino, publicou O Eduquês em Discurso Directo: Uma Crítica da Pedagogia Romântica e Construtivista (Gradiva, 2006), coordenou Desastre no Ensino da Matemática: Como Recuperar o Tempo Perdido (SPM/Gradiva, 2006) e organizou a colectânea Ser Professor , de textos de Rómulo de Carvalho (Gradiva, 2006).Publicará muito em breve na Gradiva, o livro de divulgação no domínio da Matemática com o título A Matemática das Coisas.»

Veja referência ao outro prémio de divulgação de Nuno Crato nesta entrada: 1º. Prémio ” Raising Public Awareness of Mathematics” pelos três artigos: Cibersegredos invioláveis, Alice e Bob e Criptografia quântica, Expresso de  8, 22, e 29 de Setembro de 2001.

ADENDA DE 14-3-2008: Aproveito para republicar o problema do comprimento do comboio de mercadorias de 6-11-2007.

Nuno Crato, na sua coluna do “Expresso”, Passeio Aleatório, na pág. 85 da Única, 14 Abril 2006, deu conta do seguinte problema que apareceu nas provas das Olimpíadas Portuguesas destinadas aos alunos do Básico e do Secundário:


« O Alexandre e o Herculano estão na Estação de Campanhã à espera do comboio. Para se entreterem, decidem calcular o comprimento de um comboio de mercadorias que passa pela estação sem alterar a velocidade. Quando a frente do comboio passa por eles, o Alexandre começa a andar no sentido oposto. Os dois caminham à mesma velocidade e cada um deles pára no momento em que se cruza com o fim do comboio. O Alexandre andou 45 metros e o Herculano 30. Qual o comprimento do comboio? »

Resolução

Designemos por L o comprimento do comboio (em metros) que pretendemos calcular; por V e v as velocidades, respectivamente, do comboio e do Alexandre (ou do Herculano, igual pelo enunciado). No intervalo de tempo t que decorre desde o momento em que o Herculano começa a andar até que pára, o combóio andou L-30 metros à velocidade V e o Herculano 30 à velocidade v. Assim,

30=vt

L-30=Vt

ou seja, dividindo a segunda equação pela primeira

\displaystyle\frac{V}{v}=\frac{L-30}{30}

Enquanto o Alexandre anda 45 metros num intervalo de tempo t\prime , desde que inicia o movimento até que pára, o comboio anda L+45 metros:

45=vt\prime

L+45=Vt\prime

logo, temos

\displaystyle\dfrac{V}{v}=\frac{L+45}{45}

Igualando as duas equações que exprimem V/v, chegamos à equação

\displaystyle\dfrac{L-30}{30}=\dfrac{L+45}{45}

que resolvida dá

L=180

Por conseguinte, o comprimento do comboio é de 180 m. \qquad\blacktriangleleft

Embora neste artigo “Desafios da Matemática” Nuno Crato não indique a solução, pergunta, “Será que o comboio mede, em metros, uma vez e meia o número de maneiras distintas de colocar cinco pessoas na fila do autocarro?”

Verifiquemos: o número de maneiras distintas nas condições especificadas é 5!=120; e 120\times1,5=180. A resposta é, pois, “sim”.

Nuno Crato sublinha que há muitos métodos de resolução deste problema. Qual é o seu?

Variante à resolução indicada acima: Seja L o comprimento do comboio. O comboio anda, respectivamente, L+45 e L-30 metros, enquanto o Alexandre e o Herculano caminham 45 e 30 metros (a velocidade constante e igual). Sendo a velocidade do comboio constante, a distância que percorre é directamente proporcional à distância andada por um e por outro:

\displaystyle\frac{L+45}{L-30}=\frac{45}{30}

que é  equivalente à equação estabelecida acima.

Resolução publicada pela SPM: O Alexandre andou mais 45-30=15 metros do que o Herculano e, no período de tempo que o Alexandre demorou a percorrer esses 15 metros, o comboio andou 45+30=75 metros.
Portanto, no mesmo período de tempo, o comboio percorre 75/15=5 vezes mais metros do que cada um dos rapazes. Assim, enquanto o Herculano andou 30 metros, o comboio andou 30\times 5=150 metros. Como o Herculano começou a andar quando foi passado pela frente do comboio, parou quando se cruzou com o fim do comboio e andou 30 metros no sentido oposto, então o comboio tem 150+30=180 metros de comprimento.

 

Sobre Américo Tavares

eng. electrotécnico reformado / retired electrical engineer
Esta entrada foi publicada em Ciência, Matemática com as etiquetas , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s